Share |

Notícias

Fevereiro 7, 2014 05:50 PM

Jornal Público, 5/2/2014, por Pedro Crisóstomo

 

A Comissão de Orçamento e Finanças admitiu nesta quarta-feira a petição pela renegociação urgente da dívida pública portuguesa, apresentada no Parlamento na semana passada pela Iniciativa para uma Auditoria Cidadã (IAC) à Dívida Pública com 6445 assinaturas.

 

O próximo passo será a audição, na Assembleia da República, dos peticionários, neste caso, representantes do movimento cívico. Como o processo foi admitido nesta quarta-feira, até à hora de publicação desta notícia não tinha sido agendada uma data com a IAC, segundo disse ao PÚBLICO Isabel Castro, membro do movimento de cidadãos e um dos cinco primeiros subscritores da petição.

 

A iniciativa propõe que os deputados se pronunciem a favor de um processo de renegociação que envolva todos os credores do Estado (privados e oficiais). O processo, defende-se nos documentos técnicos anexos à petição, dever ser abordado com “urgência” para que a abertura da renegociação parta do Estado português e não dos credores.

Fevereiro 4, 2014 10:34 PM

No passado dia 29 de Janeiro, teve lugar um debate sobre «Renegociar a dívida: quando e como?».

A documentação das intervenções de Ricardo Cabral e de José Maria Castro Caldas podem ser consultadas nos seguintes Anexos:

 

«Renegociar a dívida: quando e como?»

«Renegociação da dívida: urgência e desafios»

Fevereiro 1, 2014 01:11 PM

Para assinalar a posterior entrega ao Parlamento de petição, realizou-se na passada 4ª feira, dia 29 de Janeiro, em Lisboa, no CIUL (Picoas Plaza) um interessante debate, muito participado por cidadãos em que intervieram, como convidados, Ricardo Cabral (Universidade da Madeira) e JosÉ Castro Caldas (CES). A importância das comunicações feitas justifica a sua breve disponibilização no nosso site, para uma partilha mais alargada pelos interessados (o que será feito oportunamente).

 

Entretanto, conforme tinha sido anteriormente divulgado, procedeu-se ontem, 5ª feira, dia 30 de Janeiro, pelas 15H à entrega formal à Assembleia da República da petição, lançada com a campanha “Pobreza Não Paga a Dívida/Renegociação Já “, promovida pela Iniciativa Auditoria Cidadã à Divida, em conjunto com outras entidades (assinaladas no nosso site), cujo envolvimento aqui queremos, de forma clara, agradecer e sublinhar.

 

A petição ontem entregue ao Parlamento contém 6445 assinaturas, das quais parte significativa, mais 2654, foram recolhidas diretamente (muitas das quais em sessões de debate realizadas neste período). E foi acompanhada de um dossier com um conjunto de documentos que contribuem para a sua melhor fundamentação e explicitação dos objetivos visados. Em concreto, uma carta aberta dirigida aos deputados, um documento de reflexão sobre a urgência da divida e seus desafios, um documento sobre o direito de informação e de participação acerca dos assunto públicos e, finalmente, uma sugestão acerca de uma possível forma de garantir preparação e competente preparação e acompanhamento do processo de auditoria, renegociação e envolvimento informado da sociedade portuguesa e dos cidadãos em geral (Ver Anexos a este texto).

Janeiro 31, 2014 04:42 PM

JornalPúblico online, 29/1/2014, por Pedro Crisóstomo

 

Medir impactos, reconhecer obstáculos e apontar caminhos para o Estado português desencadear um processo de renegociação da dívida pública, sem que a iniciativa parta do lado dos credores — o repto foi lançado em Maio de 2013 numa petição da Iniciativa para uma Auditoria Cidadã (IAC) à Dívida Pública e chega agora ao Parlamento com a entrega de mais de seis mil assinaturas.

 

Ao vice-presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, o movimento vai entregar, numa audição agendada para a tarde de quinta-feira não só a petição (Pobreza não paga a dívida – Renegociação já!), mas também documentação técnica para justificar a “urgência” que a IAC vê na renegociação da dívida com “todos os credores privados e oficiais”.

 

Como a petição ultrapassou as quatro mil assinaturas, o tema passa para o lado dos deputados e deverá ser apreciado em plenário (a 11 de Janeiro havia 6493 subscrições, mas só ao final da tarde desta quarta-feira é apurado o número exacto).

Janeiro 22, 2014 11:27 PM

29 de janeiro de 2014, 17.30 horas

Centro de Informação Urbana de Lisboa (CIUL)

Picoas Plaza - Rua Viriato, 13, Núcleo 6-E, 1º, Lisboa

 

Debate com José Castro Caldas (IAC) e Ricardo Cabral (Universidade da Madeira)

Dezembro 16, 2013 08:13 PM

«O Estado da Dívida e o Estado do País» foi tema de debate na Covilhã, no passado dia 12 de Dezembro. A iniciativa promovida pela CooLabora, Universidade da Beira Interior (UBI) e Iniciativa de Auditoria Cidadã à Dívida (IAC) decorreu na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.

 

Perante uma assistência numerosa e muito diversificada, os quatro oradores convidados abordaram esta problemática a partir de prismas de análise distintos.

 

José Castro Caldas, investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e membro da Iniciativa Auditoria Cidadã à Dívida (IAC) centrou-se na necessidade de renegociação urgente da dívida face à sua insustentabilidade económica, social e ambiental. Mostrou como as previsões oficiais têm ficado sistematicamente longe da realidade e apresentou possíveis cenários de um processo de renegociação que interesse ao país no seu todo e não apenas aos credores.

Dezembro 7, 2013 07:04 PM

14:30

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade da Beira Interior, Covilhã, Auditório 7.20

 

«O estado da dívida e o estado do país»

 

Debate com a participação de José Maria Castro Caldas, André Barata, Anabela Dinis e Nuno Augusto.  Abertura por Aldo Costa, Graça Rojão e Luísa Teotónio Pereira.

 

Promovido por CooLabora, UBI e IAC.

Dezembro 5, 2013 07:47 PM

18:00

ISCTE - IUL - Instituto Universitário de Lisboa

Av. das Forças Armadas, Edifício II, Auditório B204,  Lisboa

 

 

«A crise da dívida soberana: natureza, alternativas e consequências»

 

Debate com a participação de Vítor Bento, Paulo Trigo Pereira, Ricardo Mamede e Eugénia Pires. Moderação de André Freire e Isabel de Castro.

 

 

Promovido pelo ISCTE (âmbito de Doutoramento em Ciência Política), em colaboração com a IAC.

Novembro 28, 2013 11:51 PM

A dívida está a servir para destruir países. O nosso é um deles. Destruir emprego, destruir o direito universal à saúde, à educação, à cultura, a pensões dignas. Todos os compromissos estão a ser rasgados. Invioláveis só os direitos dos credores. Compreender a dívida, conhecê-la, é o primeiro passo para a vencer.

 

Sobre a dívida há muitas perguntas, algumas delas sem resposta. Aqui estão dez perguntas muitos frequentes e dez respostas para difundir e debater. O documento pode ser lido AQUI.

Novembro 23, 2013 12:43 PM

«Nós e a dívida: compreender para enfrentar»

 

No dia 19 de novembro, nas instalações do SPGL em Lisboa, decorreu mais uma sessão de informação e debate sobre a dívida, promovida conjuntamente pelo SPGL e pela IAC. A sessão foi apresentada por António Avelãs e moderada por Luísa Teotónio Pereira, com as intervenções de Sara Rocha e Rosário Caetano, ambas da IAC, a que se seguiu um debate com os presentes.

 

As duas apresentações, que procuraram contribuir para o esclarecimento do tema da dívida, partiram de perspetivas de abordagem distintas, mas que se complementam. A primeira apresentação, de natureza mais técnica, abordou a questão da dívida a partir de uma dimensão económica, enquanto a segunda apresentação procurou fazer uma abordagem a partir de questões de ordem política e social.

Novembro 19, 2013 04:52 PM

A Lx Factory foi o espaço escolhido. Uma das mais belas livrarias de Lisboa e do pais. Um músico brasileiro convidado pelos promotores que iria depois participar no debate, brindou-nos, no início, com canções inteligentemente escolhidas.

 

Depois, seguir-se-ia um debate da iniciativa de um movimento de cidadãos de Alcântara, que, depois de se apresentarem às eleições locais, se orientam agora na promoção de atividades diversas, de interesse público.

 

Um debate sobre a divida pública foi, pois, a sua primeira iniciativa. A estreia de um percurso de intervenção cívico, em que o Frederico Pinheiro da ATTAC, a Eugénia Pires e a Isabel de Castro, ambas da IAC, participaram.

Novembro 18, 2013 11:35 PM

Com a participação de uma trintena de pessoas (apesar da coincidência com o jogo da Selecção) realizou-se na sexta-feira ao fim da tarde uma sessão anunciada como «um debate necessário e urgente, sem verdades feitas, para responder às dúvidas das pessoas».

 

Convidado especial, o médico e humanista setubalense Dr. Mário Moura colocou algumas questões às quais tentaram responder Eugénia Pires, J. Vítor Malheiros e Martins Guerreiro. Seguiu-se um intenso debate, onde pontuaram duas gerações. Uma coisa ficou clara: a necessidade premente de «polir e corrigir a Democracia», com a participação de todos, designadamente dos que se queixam do estado a que ela chegou (tanto por causa do abandono do terreno a estes neoliberais).

 

As dificuldades de mobilização das pessoas, em especial das gerações pós-25 de Abril, esteve em discussão. Clara foi a mensagem: cada geração tem de procurar os seus próprios caminhos, não pode esperar, nem exigir, que sejam os mais velhos a proporem-lhos.

 

A hora de jantar não fez com que os presentes desistissem da discussão... numa sessão muito viva, muito participada, e muito pedagógica.

Novembro 18, 2013 04:17 PM

«O nosso principal objetivo foi difundir informação acerca do funcionamento deste mercado secundáriode dívida», disse Andrew Ross.

Fotografia de Spencer Platt/Getty Images

 

O Rolling Jubilee [Jubileu Contínuo] gastou 400 mil dólares a comprar dívida aos bancos a baixo custo. Em seguida, anulou-a, isentando os devedores dos pagamentos em falta.

 

Adam Gabbat, em Nova Iorque

12 de Novembro de 2013

 

Durante o ano passado, um grupo de ativistas do Occupy Wall Street gastou quase 15 milhões de dólares a comprar dívida pessoal, no âmbito do projeto Rolling Jubilee, que visa ajudar as pessoas a pagar créditos pendentes.

 

O Rolling Jubilee, criado pelo Strike Debt Group [Grupo de Ataque à Dívida] do Occupy, no seguimento dos protestos de rua que se espalharam pelo mundo inteiro em 2011, foi lançado a 15 de Novembro de 2012. O grupo compra dívida pessoal aos bancos a preços reduzidos para, em seguida, cancelá-la, libertando os respetivos devedores do fardo do endividamento.

Novembro 14, 2013 01:10 PM

Auditório do SPGL

Rua Fialho de Almeida, 3
1070 - 128 Lisboa

 

«Nós e a dívida: compreender para enfrentar»

 

Debate com a participação de Sara Rocha e Rosário Caetano.

(Organização do SPGL em colaboração com a IAC)

Novembro 13, 2013 05:23 PM

Às 18h30, na Casa da Cultura.


«Destruir o país é caminho?»


Iniciativa promovida pela IAC. Participam no debate: Eugénia Pires, José Vítor Malheiros, Martins Guerreiro e ainda, como convidado especial, o Dr. Mário Moura.

Novembro 5, 2013 04:39 PM

13 de Novembro, 21:00

Livraria Ler Devagar, LX Factory, Rua Rodrigues Faria, 103, 1300-501 Lisboa

 

Cortar os salários , as pensões e os serviços públicos para pagar a divida está a empobrecer Portugal. É possível ou não renegociar a divida? E como?

 

Debate com Eugénia Pires, Frederico Pinheiro e Isabel Castro. Apontamento musical com o cantor brasileiro Fercy Nery.

 

(Organização de Move Alcântara e IAC)

Novembro 4, 2013 01:48 PM

Dia 15 de Novembro, às 18h30.
Com o título “Destruir o país é caminho?” debate na Casa da Cultura.
Iniciativa promovida pela IAC. Participam Eugénia Pires, José Vítor Malheiros, Martins Guerreiro e ainda, como convidado especial, o Dr. Mário Moura.

Outubro 27, 2013 11:12 PM

O jornal Público de hoje, 27/10/2013, inclui uma excelente entrevista a Manuela Silva – «Temos uma liderança política com grande ignorância face ao país real» –, que pode ser lida AQUI.

Outubro 16, 2013 10:37 PM

No próximo dia 19, sábado, em Lisboa, a IAC estará no lg de Alcântara,  para recolher assinaturas para a petição «Pobreza Não Paga a Dívida, Renegociação já!», durante a manif da CGTP
A partir das 14:45, na esquina do BES.


Ver mapa maior

Julho 12, 2013 11:56 AM

Foi recentemente dado à estampa o livro A Crise do Capitalismo,  5ª edição, de António Avelãs Nunes. O autor é professor catedrático aposentado, foi Director da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

 

Recomendo a sua leitura às pessoas que se interessam pelas questões da dívida e pelo trabalho da IAC, pelas razões e conteúdos que indico:

 

 - A análise e a caracterização do capitalismo actual, do neoliberalismo, da sua crise e das suas formas  são  rigorosas e cuidadosas.

 

- Aponta o princípio da liberdade de circulação do capital como a pedra angular do mercado único de capital à escala mundial, onde os especuladores se movem como peixe na água. É essa liberdade de circulação que está na base das crises bancárias.

 

- Evidencia a responsabilidade da banca na crise actual e como o capital financeiro transnacional comanda os mecanismos e o processo de privatização do Estado.

 

- Quem provocou a crise e agora beneficia com ela? Como parte da dívida privada se transforma em dívida pública?

Junho 26, 2013 11:43 AM

No próximo dia 27, em Lisboa, a IAC estará no Rossio para recolher assinaturas para a petição «Pobreza Não Paga a Dívida, Renegociação já!».

 

A partir das 14:30, à porta do teatro D. Maria II.

Todos não seremos demais!

Junho 14, 2013 04:14 PM

Amanhã, 15 de Junho, Sábado, a IAC vai proceder a mais uma jornada de divulgação da campanha em curso e recolha de assinaturas presenciais durante A Manifestação Nacional de Professores com concentração convocada para as 15:'00 horas na Praça Marquês de Pombal, em Lisboa, distribuindo folheto explicativo da campanha e petição e utilizando as folhas de recolha de assinaturas presenciais impressas para o efeito.

Maio 26, 2013 03:53 PM

O lançamento da campanha Pobreza Não Paga a Dívida, Renegociação já! irá ter lugar numa conferência de imprensa pública, onde serão recolhidas as primeiras assinaturas, no próximo dia 29 de Maio, quarta-feira, pelas 18h no bar/foyer do cinema São Jorge, em Lisboa.

A Iniciativa para uma Auditoria Cidadã à Dívida vai lançar, conjuntamente com outras organizações da sociedade civil, uma campanha para promover o debate sobre a dívida e recolher de assinaturas para uma petição dirigida à Assembleia da