Share |

Declaração de Quito em Apoio ao Povo Grego

 

 

Saúdam ainda a iniciativa grega de auditoria cidadã (em curso), lembrando o exemplo do Equador, que, após auditar a dívida pública, chegou à conclusão de que uma boa parte era ilegítima, e por tal não deveria ser paga. A redução radical da dívida permitiu ao país investir em infra-estuturas sociais e nas condições de vida da população, deixando para trás o ciclo de austeridade e medidas anti-sociais imposto pelo FMI.

"Não existem alternativas fáceis para o povo grego. Sabemos que o custo de aceitar a prostração e a submissão impostas por ajustes cada vez mais severos é muito superior ao de defender com firmeza e dignidade a prioridade da defesa das condições de vida e do património público. É o futuro dos povos grego e europeu que está em jogo", dizem.

 

Ler declaração (em castelhano) aqui: http://www.cadtm.org/Declaracion-de-Quito-en-apoyo-al