Share |

Estado Pagou Duas Vezes à Lusoponte

Mais um exemplo da «lotaria» que as parcerias público-privadas são para o Estado. Supostamente, tudo deveria correr bem, com os contratos assinados e as despesas contratualizadas ao longo dos anos. Contudo, a realidade é bem mais dura. O caso da Lusoponte é bem ilustrativo do descalabro destes contratos para os contribuintes: sendo a primeira PPP do país, já vai a caminho do nono (sim, nono) acordo de reequilíbrio financeiro. O Estado fica refém destes negócios. Ficaremos agora à espera de saber quando e em que condições será devolvido este duplo pagamento. Recordamos que, apenas desde 2008, os encargos com as PPP derraparam 1,8 mil milhões de euros.

Ver a notícia do Sol de 2 de Março