Share |

Necessidade de Realização de Auditoria da Dívida dos Países Europeus

Excerto de um capítulo do texto de Maria Lucia Fattorelli,  «Auditoria da Dívida Pública: Instrumento para enfrentar a crise Financeira.» O capítulo e o texto completo estão disponíveis na secçãoDocumentação.

Assistimos atordoados à aplicação, em diversos países da Europa, dos mesmos planos de ajuste econômico que foram aplicados à América Latina nos anos 80. Os resultados lesivos nossa história pode provar: tremendo sacrifício social, desarranjo econômico e agravamento do problema de endividamento.

É necessário retornar ao ponto de partida e responder algumas perguntas: Que dívida é essa que afeta brutalmente tantos países europeus? Como ela surgiu? Os países efetivamente receberam tais recursos? Onde os mesmos foram aplicados? Quem se beneficiou desse processo? Qual o objetivo ou a finalidade de cada operação de endividamento? Qual a responsabilidade dos bancos?Qual parcela da dívida decorre simplesmente de manobras especulativas que renderam bilhões de euros aos bancos? Qual o papel dos “Credit Default Swaps” neste processo? Qual a verdadeira causa do déficit público, apontado pelos jornais como o grande causador do endividamento? Qual a repercussão, para o aumento do déficit público, das operações de salvamento de bancos privados? Qual a influência da redução dos tributos sobre os mais ricos no aumento do déficit público e no aumento do endividamento? Um Relatório da Comissão Européia3 aponta que, de 1995 a 2010, a alíquota máxima de tributação dos lucros das empresas gregas caiu fortemente, de 40% para 24%; foram levantados os valores correspondentes a essa desoneração fiscal dos mais ricos? Qual o conteúdo dos documentos secretos mencionados pela mídia, conforme matéria abaixo? 

O povo não pode ser convocado a pagar uma conta que sequer conhece.

(artigo completo aqui).