Share |

O povo também é credor!

A Iniciativa para uma Auditoria Cidadã à Dívida (IAC) apela à participação nas manifestações de 2 de março de 2013.

A dívida pública tem sido o pretexto para a austeridade que atirou Portugal para uma espiral recessiva. A dívida é uma armadilha de que temos de nos libertar.

A 2 de março vamos voltar a encher as ruas. A Iniciativa para uma Auditoria Cidadã à Dívida (IAC) estará presente e apela à participação. O que dizemos é simples: rejeitamos a servidão da dívida.

Exigimos uma renegociação urgente da dívida pública. Os interesses dos credores financeiros não se podem sobrepor aos direitos e interesses de todo um povo. O povo também é credor.

O processo de renegociação deve ser desencadeado pelo Estado Português como uma afirmação de vontade e de soberania democráticas, ditado pela defesa do interesse nacional, declarando, se necessário, uma moratória ao serviço da dívida, isto é, a suspensão dos pagamentos, enquanto decorre o processo de negociação.

Reclamamos do Estado Português a criação urgente de uma entidade, aberta à participação cidadã, que proceda à auditoria da dívida pública e prepare a sua renegociação.

A sociedade portuguesa deve unir-se e mobilizar-se na exigência da renegociação da dívida. Para sair da armadilha é preciso auditar e renegociar a dívida. Portugal precisa, não de representantes dos credores financeiros no seu governo, mas de um governo capaz de unir e representar os portugueses na negociação.

 

Lisboa, 23 de Fevereiro de 2013
A Comissão de Auditoria da Iniciativa para uma Auditoria Cidadã à Dívida (IAC)